quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Para atrair voos, Ceará reduz ICMS sobre querosene de aviação.

Ceará aprovou, nesta quinta-feira, 7, um projeto de lei que permite a redução de 30% para 12% na alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre o querosene de aviação. O benefício, que visa atrair mais voos para o Estado, é restrito às companhias aéreas que estabelecerem rotas internacionais regulares, com saída e chegada nos aeroportos cearenses.
Em outro artigo, a lei também reduz de 19% para 4% o ICMS aplicado sobre operações internas, interestaduais e de importação de aeronaves inteiras, de monomotores a jatos, passando por helicópteros e turboélices para uso civil e militar. Peças, instrumentos aeronáuticos e simuladores de voo também foram incluídos. O objetivo é atrair centros de manutenção para o Estado.
TAM
De acordo com o secretário estadual de Turismo, Bismarck Maia, a TAM já está em tratativas para estabelecer uma rota regular entre Fortaleza e Miami, nos EUA. A companhia também está construindo uma base de manutenção de aeronaves executivas no município de Aracati, no litoral cearense. O empreendimento, segundo Maia, será inaugurado em fevereiro de 2014.
A expectativa é que a redução do ICMS sobre o combustível incentive as companhias aéreas a ampliar o número de voos para o Ceará. O Estado é o primeiro do Nordeste a oferecer a tarifa reduzida.
“Com o benefício, é natural que as empresas que voam para o Nordeste acabem passando pelo Ceará para abastecer”, disse o secretário, ao lembrar que o querosene de aviação representa algo em torno de 40% dos custos das aéreas.
Ele ressalta, entretanto, que só poderão usufruir do benefício as companhias que estabelecerem rotas internacionais de interesse do Estado do Ceará.
Martinica não
“Com todo respeito à Martinica [ilha caribenha que faz parte da França], quem quiser colocar uma rota para lá só para pagar menos ICMS não vai poder. A lei prevê que o destino internacional será negociado previamente”, avisou o secretário. “Sabemos que o interesse principal das empresas é baixar o custo para a operação doméstica”, complementou.
No caso das bases de manutenção, o governo quer atrair hangares de companhias de todos os tamanhos. Além do benefício fiscal, Maia informou que os aeroportos de Jericoacoara, Camocim, Aracati e São Benedito foram reformulados para receber os possíveis interessados. “Com essas empresas, se cria uma base econômica nova, se leva a cultura do setor aéreo a esses locais e se cria a necessidade de melhora da mão de obra”, ressalta. 
De acordo com o secretário, o ICMS recolhido sobre o querosene de aviação representa, hoje, algo em torno de R$ 50 milhões por ano. A atração de novos voos, contudo, compensaria com folga a receita perdida, segundo ele. “É um passo atrás para dar dois adiante”, finaliza.

Fonte: (Murillo Camarotto | Valor) www.valor.com.br



terça-feira, 5 de novembro de 2013

Base Aérea de Fortaleza X CRUZEX 2013



bafz.gif (7516 bytes)

Esta edição da CRUZEX (2013) não será realizada na BAFZ, mais muitos esquadrões passarão por aqui, e terão sua sede provisória como o Esquadrão Joker (AT-29), Gavião (UH-50 Esquilo) ambos com sede em Natal. Também um Esquadrão de Helicópteros da Marinha com seus JetRanger. Tivemos a passagem do Esquadrão Poti, Falção, Arara, Cobra, Carcará, Coral, Abutre, Gordo. A BAFZ sempre alerta e com estrutura, e muitos dizem que ainda vai fechar!

:: CRUZEX
Ano: 2002
Países: Brasil, Argentina e França
Observador: Chile
Aeronaves:

- Brasil: F-5, F-103, A-1, AT-27, RA-1, R-99, C-115, C-95, KC-137, KC-130, P-95, UH-1H, CH-34, UH-50
- França: Mirage 2000, E-3, KC-135
- Argentina: M-V, KC-130
Locais: Base Aérea de Florianópolis (SC), Lajes (SC), Chapecó (SC), Base Aérea de Canoas (RS), Base Aérea de Santa Maria (RS), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Passo Fundo (RS).
:: CRUZEX II
Ano: 2004
Países: Argentina, Brasil, França e Venezuela
Observadores: Peru, Uruguai e África do Sul

Aeronaves:
- Brasil: F-5, F-103, A-1, T-27, RA-1, R-99, R-35, C-95, SC-95, KC-130, KC-137, H-34, H-50, H-1H
- Argentina: Mirage 2000, KC-135, E-3F
- Venezuela: F-16, Mirage 50, Super Puma, B-707
Locais: Base Aérea de Natal (RN), Base Aérea de Fortaleza (CE), Base Aérea de Recife (PE), Campina Grande (PB) e Mossoró (RN)
:: CRUZEX III
Ano: 2006
Países: Argentina, Brasil, Chile, França, Peru, Uruguai e Venezuela
Observadores: Bolívia, Colômbia e Paraguai
Aeronaves:
- Brasil: Mirage III, F-5, A-1, AT-26, A-29, AT-27, R-99, SC-95, H-34, H-50, H-1H, KC-137, KC-130
- Argentina: IA-58 Pucará, A-4AR Fightinghawk
- Chile: A-37B Dragonfly
- França: Mirage 2000, E-3F Sentry
- Venezuela:  KC-707, VF-5A, Mirage 50, F-16
- Uruguai: IA-58 Pucara, A-37B Dragonfly
Locais:  Base Aérea de Campo Grande (MS), Base Aérea de Anápolis (GO), Uberlândia (MG), Base Aérea de Brasília (DF) e Jataí (GO).
:: CRUZEX IV
Ano: 2008
Países: Brasil, Chile, França, Uruguai e Venezuela
Observadores: Bolívia, Canadá, Colômbia, Equador,  Grã-Bretanha, Peru e Paraguai.
Aeronaves:
- Brasil: F-5, Mirage 2000, A-1, A-29, RA-1, E-99, SC-95, C-130, C-105, C-95, KC-130, KC-137,  H-1H, H-50, H-34, H-60, VU-35
- Chile: F-5 III, KB-707
- França: Mirage 2000
- Uruguai: A-37 Dragonfly, IA-58 Pucara
- Venezuela: F-16
Locais:  Base Aérea de Natal (RN), Base Aérea de Fortaleza (CE), Base Aérea de Recife (PE), Campina Grande (PB) e Mossoró (RN)
:: CRUZEX V
Ano: 2010
Países: Brasil, Argentina, Chile, França, Estados Unidos
Observadores: Bolívia, Equador, Canadá, Inglaterra, Colômbia e Paraguai.
Aeronaves:
- Argentina: A-4, KC-130
- Brasil: F-5, Mirage 2000, A-1, A-29, E-99, C-105, C-130, C-95,  H1-H, H-60, H-34, KC-137, UH-14
- Chile: F-16, KC-135
- França: Mirage 2000, Rafale
- Estados Unidos: F-16, KC-135
- Uruguai: A-37 Dragonfly, IA-58 Pucara
Locais:  Base Aérea de Natal (RN), Base Aérea de Recife (PE), Base Aérea de Fortaleza (CE), Campina Grande (PB) e Mossoró (RN)

:: Cruzex C2 – Comando e Controle
Ano: 2012
Países: Brasil, Argentina, Canadá, Chile, Equador, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Peru, Suécia, Uruguai e Venezuela.
Observador: Portugal
Local: Base Aérea de Natal (RN)

Fonte Dados Cruzex www.defesanet.com.br

Estrutura da Base Aérea de Fortaleza é esvaziada

Esquadrão Rumba, onde pilotos são preparados para comandar aviões, pode ser transferido para Natal
A Base Aérea de Fortaleza (BAFZ) passa por um gradativo processo de enxugamento. O 1º Esquadrão do 5º Grupo de Aviação (1/5 GAv), o Esquadrão Rumba, que prepara pilotos para comandar aviões Bandeirantes, pode ser transferido para Natal. O projeto de deslocamento do grupo, iniciado em 2008, foi, mais uma vez, acionado. Houve um pedido para que o estudo fosse atualizado, sem motivo específico, como informa o Comandante interino da Base Aérea de Fortaleza, Paulo Servo Costa Filho.

A transferência será submetida ao Comando da Aeronáutica. A BAFZ também sofreu corte orçamentário, como todas as unidades brasileiras Fotos: José Leomar

Contudo, a hipótese da transferência ainda será submetida ao Comando da Aeronáutica, da Força Aérea Brasileira (FAB). "Não recebemos nenhum comunicado", diz. Mas, mesmo com a concretização do deslocamento do 1/5, a base vai continuar com o 5º Esquadrão do 1º Grupo de Comunicações e Controle (5/1 GCC) - responsável por levar condições de controle ao espaço aéreo - e com a Unidade de Controle do Tráfego Aéreo.

De acordo com o ex-integrante da Força Aérea Brasileira no Esquadrão de Comando, Carlos Célio de Souza, Fortaleza vai perder todos os aviões e esquadrões, caso o 1/5 seja deslocado. "O sonho dos pilotos de passarem pelo ninho das águias - como era conhecida a unidade de Fortaleza, a mais importante base de treinamento - vai se esvair", lamenta.

Em 2001, já houve a transferência do 1º Esquadrão do 4º Grupo de Aviação (1/4 GAv), que passou 54 anos em terras cearenses. No lugar onde funcionava o 1/4 GAv foram instalados galpões de cargas da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O também chamado Esquadrão Pacau era o único grupo de formação de líderes de esquadrilha de caça (elite da aviação militar). Um dos fatores da retirada foi a segurança do Aeroporto Pinto Martins.

InícioO esvaziamento da Aeronáutica começou no governo do ex-presidente da República Fernando Collor, quando houve redução das horas de voo em 20%. Em Fortaleza, alguns aviões foram retirados. Os dois últimos exemplares do Fairchild PT - 19 cedidos para a Força Aérea do Paraguai, na década de 1960. Já o bombarbeiro médio B-25 Mitchell, o P-47 Thunderbolt - usado da 2ª Guerra Mundial -, o T-33 Lockheed e o F-80 saíram da Capital, a partir dessa época.

"Desde a partida do 1/4 aconteceu um vácuo. Hoje, a BAFZ só forma pilotos de patrulha e de carga. Imagine se o 1/5 sair também", comenta Carlos Célio. Ele destaca que, embora poucas pessoas façam parte do Esquadrão, vai haver impacto na vida civil.

Outro problema é que a Base Aérea de Fortaleza sofreu um corte orçamentário. Na verdade, a redução aconteceu em todas as unidades brasileiras de comando da Aeronáutica, no valor de R$ 919 milhões, atingindo o Ministério da Defesa. Por conta do corte, o Comando da Capital adotou medidas de economia, tais como o desligamento do ar condicionado, em boa parte do dia.

Entretanto, como informa o comandante, as atividades da unidade não foram afetadas. "Atuamos nos grandes eventos, como a Copa das Confederações, na parte de defesa do espaço aéreo. A BAFZ também serviu de desembarque para as autoridades". Na Copa do Mundo, haverá o uso da base para recepção dos chefes de Estado e ações de controle do espaço aéreo. Para essa última atuação, o Comando dispõe de radar móvel.

Não há economia de água, a não ser a voltada para a ativação dos poços. Nem mesmo o uso do fardamento está limitado. O que aconteceu foi a mudança de horário da Educação Física, que passou para o período da tarde. "Foi autorizado que os soldados pudessem sair da unidade com a farda dos exercícios", explica Costa Filho.

A base conta com um hospital que atende o público da Força Aérea, ativos e inativos. São 8 mil prontuários ativos. E a capela realiza missas às quartas-feiras e aos domingos, abertas para a comunidade. São 327 residências em funcionamento em dois quilômetros de perímetro.

A Base Aérea de Fortaleza já funcionou como unidade de instrução de caça, passando a formar a maioria dos pilotos de caça da FAB. Em 2008, o comando abrigou o maior exercício de combate aéreo combinado da América do Sul, a Operação Cruzeiro do Sul (Cruzex), que simulou exercícios de guerra.

FIQUE POR DENTRO
História se confunde com a da FAB


A Base Aérea de Fortaleza começou como 6º Regimento de Aviação Militar. Antes, existia a Unidade e Serviços Aéreos do Exército. Àquela época, havia o Quartel Destacamento de Aviação do Exército. Em 1939, tornou-se o 6º Corpo de Base. Com a criação do Ministério da Aeronáutica, em 1941, a unidade ficou subordinada ao órgão, tendo como missão assegurar recursos técnicos e administrativos para manutenção. A história da unidade l se confunde com a da Força Aérea Brasileira (FAB), com 75 anos de atuação. As atividades de Fortaleza começaram com o 1º Esquadrão do 4º Grupo de Aviação. 


LINA MOSCOSO REPÓRTER 

Fonte: Diário do Nordeste

NOTA: EAF

Segundo informações a Base Aérea de Fortaleza vai receber um Esquadrão Operacional. A EAF já tem a informação do Esquadrão, mas por respeito a Força, aguardo a informação oficial. Assim espero. 

BASE AÉREA DE FORTALEZA 

HISTÓRIA, RESPEITO E COMPETÊNCIA

quinta-feira, 27 de junho de 2013

NOTAM PINTO MARTINS COPA DAS CONFEDERAÇÕES

NOTAM

FORTALEZA/PINTO MARTINS,CE (SBFZ)
AGA
B1085/2013
B) 17/06/13 03:01
C) 30/06/13 02:59
E) AD - AP COORDENADO. EM CONSEQUENCIA:
1) CONFORME REGRAS E PROC DESCRITOS NA AIP-BRASIL ENR 1.9 ITEM
2, TODAS AS ACFT QUE PRETENDAM OPR EM SBFZ TERAO SUAS OPS
CONDICIONADAS A DISPONIBILIDADE DE ATENDIMENTO EM FUNCAO DA COPA
DAS CONFEDERACOES E DEVERAO SOLICITAR O ATENDIMENTO, A PARTIR DO
DIA 05 DE JUNHO DE 2013, COM ANTECEDENCIA MINIMA DE 01 HR DA
HORA
DESEJADA DA OPS A CENTRAL INTEGRADA DE SLOTS ATRAVES DO SITE DO
CGNA (WWW.CGNA.GOV.BR), NA OPCAO SERVICOS. O ATENDIMENTO SERA
CONFIRMADO PELO FORNECIMENTO DE UM CODIGO ALFANUMERICO, QUE
DEVERA
CONSTAR NO ITEM 18 DO PLANO DE VOO, PRECEDIDO DA SIGLA RMK/CLR
EXEMPLO: RMK/CLR FZP165342.
2) DEVERA SER OBSERVADO O CUMPRIMENTO DOS ROCEDIMENTOS
OPERACIONAIS PARA AS AREAS DE EXCLUSAO PARA O EVENTO, ATENTANDO
PARA A ANTECEDENCIA MINIMA PARA APRESENTACAO DO PLANO DE VOO
COMPLETO CONFORME NOTAM.
3) ESTAO SUSPENSAS AS DISPONIBILIDADES DE SLOT ATC DE
OPORTUNIDADE PARA POUSO E DECOLAGEM.
4) EVENTUAIS COORDENACOES VISANDO O GERENCIAMENTO DE FLUXO DE
TRAFEGO AEREO DEVERAO SER EFETUADAS JUNTO AO CGNA PELO TELEFONE
(21) 2101-6557
5) OS VOOS DA AVIACAO GERAL ORIGINALMENTE PLANEJADOS COM
DESTINO
A SBFZ PODERAO, DENTRE OS AEROPORTOS COORDENADOS PARA O PERIODO
DA
COPA DAS CONFEDERACOES, ALTERNAR PARA SBTE, SBMS E SBPB,
MEDIANTE
PREVIA COORDENACAO COM OS ORGAOS ATS ENVOLVIDOS E O CGNA.
6) OS VOOS REGULARES E OS NAO REGULARES DOMESTICOS
ORIGINALMENTE
PLANEJADOS COM DESTINO A SBFZ PODERAO, DENTRE OS AEROPORTOS
COORDENADOS PARA O PERIODO DA COPA DAS CONFEDERACOES, ALTERNAR
PARA
SBNT E SBTE, MEDIANTE PREVIA COORDENACAO COM OS ORGAOS ATS
ENVOLVIDOS E O CGNA.
7) OS VOOS REGULARES E OS NAO REGULARES INTERNACIONAIS
ORIGINALMENTE PLANEJADOS COM DESTINO A SBFZ PODERAO, DENTRE OS
AEROPORTOS COORDENADOS PARA O PERIODO DA COPA DAS CONFEDERACOES,
ALTERNAR PARA SBNT, MEDIANTE PREVIA COORDENACAO COM OS ORGAOS
ATS
ENVOLVIDOS E O CGNA.
8) NAO HA RESTRICOES PARA A ESCOLHA DE AD ALTERNATIVOS QUE
NAO
ESTEJAM COORDENADOS.
9) AS AERONAVES DE ASA ROTATIVA VFR E IFR ESTARAO DISPENSADAS
DA
OBRIGATORIEDADE DE APRESENTACAO DO SLOT ATC.
10) SERAO ALOCADOS NO MAX 2 PARES DE SLOT DLY POR MATRICULA
DE
ACFT.
11) AVIACAO GERAL NAO BASEADA EM SBFZ PERMANENCIA MAXIMA NO
PATIO 04(QUATRO) HORAS
12) AS ACFT DE POSSE DE UM SLOT ATC, QUE TENHAM CONHECIMENTO
DA
SUA NAO UTILIZACAO COM ANTECEDENCIA SUPERIOR A 04 (QUATRO) HR DO
HORARIO PREVISTO, DEVERAO CANCELA-LO PELO SITE DO CGNA.
13) AS ACFT DE POSSE DE UM SLOT ATC, QUE TENHAM CONHECIMENTO
DA
SUA NAO UTILIZACAO, COM ANTECEDENCIA INFERIOR A 04 (QUATRO) HR
DO
AISWEB - BOLETIM PERSONALIZADO - 20/06/2013 às 22:58:12 UTC - Total de Páginas: 3
página 2 de 3 :: IP 177.135.49.197
HORARIO PREVISTO, DEVERAO INFORMAR A SALA AIS DO AP COORDENADO
OU
AO ORGAO ATS, QUANDO EM VOO.
14) O PERIODO DE FUNCIONAMENTO DA CENTRAL INTEGRADA DE SLOTS
SERA H24.
15) DEVERAO SER OBSERVADAS AS REGRAS DE PRIORIDADE DOS
AERODROMOS COORDENADOS, DISPONIVEIS NO SITE DO GNA
(WWW.CGNA.GOV.BR), NA OPCAO SERVICOS.
16) PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS QUANTO AO SLOTOMETRO E LOGIN
DE
USUARIO, LIGAR PARA O TELEFONE DA CENTRAL INTEGRADA DE SLOTS
0800-282-6612.
FORTALEZA/PINTO MARTINS,CE (SBFZ)
OTR
Z0437/2013
B) 19/06/13 18:00
C) 27/06/13 23:00
D) JUN 19 23 27 1800/2300
E) EM VIRTUDE DA REALIZACAO DOS JOGOS DA COPA DAS CONFERACOES ,TODAS
AS OPERACOES DE AERONAVES ESTARAO PROIBIDAS NA AREA RTO TEMPO
(AREA
AMARELA) DEFINIDA COMO UM CIRCULO DE CENTRO COORD
034826S/0383121W
E RAIO 07NM (RTO SFC AO FL145), EXCETO:
1.AERONAVES ENVOLVIDAS NO EVENTO, DE SEGURANCA PUBLICA,
MILITARES,
SAR, AMBULANCIA E AS ENVOLVIDAS NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS,
DESDE
QUE PREVIAMENTE AUTORIZADAS PELA AUTORIDADE COMPETENTE.
2.AERONAVES ENVOLVIDAS NO EVENTO, TRANSPORTANDO CHEFE DE ESTADO
E
DE GOVERNO E DELEGACOES DAS SELECOES DE FUTEBOL E VIP, DESDE QUE
PREVIAMENTE AUTORIZADAS.
3.AERONAVES COMERCIAIS DE OPERACOES REGULARES QUE ESTEJAM EM
PROCEDIMENTOS DE CHEGADA OU PARTIDA DOS AERODROMOS DA
TMA-FORTALEZA, QUE ATENDAM OS REQUISITOS DE SEGURANCA DA ANAC,
TENDO OS TRIPULANTES E OS PASSAGEIROS SOFRIDO INSPECAO DA
AVIACAO
CIVIL, DE ACORDO COM O PLANO DE SEGURANCA AEROPORTUARIA (PSA)
ESTABELECIDO PARA OS AERODROMOS DE ORIGEM.
4.AERONAVES COMERCIAIS DE OPERACOES NAO-REGULARES (SOMENTE
FRETAMENTOS E VOO CHARTER) QUE ESTEJAM EM PROCEDIMENTOS DE
CHEGADA
OU PARTIDA DOS AERODROMOS DA TMA-FORTALEZA, QUE ATENDAM OS
REQUISITOS DE SEGURANCA DA ANAC, TENDO OS TRIPULANTES E OS
PASSAGEIROS SOFRIDO INSPECAO DA AVIACAO CIVIL, DE ACORDO COM O
PLANO DE SEGURANCA AEROPORTUARIA (PSA) ESTABELECIDO PARA OS
AERODROMOS DE ORIGEM.
5.TODAS AS OPERACOES DE AMBULANCIA AEREA SERAO COORDENADAS
PREVIAMENTE COM CENTRO DE COMANDO E CONTROLE INSTALADO NO CGNA
ATRAVES DO TELEFONE (21) 2101-6557.
6.TODAS AS AERONAVES DEVERAO TER ACIONADO UM CODIGO TRANSPONDER
ATRIBUIDO PELO ORGAO ATC DESDE ANTES DA DECOLAGEM, MANTENDO-O
ACIONADO ENQUANTO ESTIVER VOANDO E NO CASO DE FALHA DO
TRANSPONDER
INFORMAR IMEDIATAMENTE AO ORGAO ATC.
7.TODAS AS AERONAVES AUTORIZADAS PARA OPERAR NA AREA AMARELA
DEVERAO MANTER COMUNICACAO DE RADIO BIDIRECIONAL COM O ORGAO
ATC.
TODOS OS MOVIMENTOS AEREOS QUE DESCUMPRIREM ESSAS REGRAS SERAO
CONSIDERADOS SUSPEITOS E ESTARAO SUJEITOS AS MEDIDAS DE
POLICIAMENTO DO ESPACO AEREO. AS AERONAVES EVOLUINDO NA
TMA-FORTALEZA, MESMO AS IDENTIFICADAS E SOB CONTROLE DOS
SERVICOS
DE TRAFEGO AEREO LOCAL, QUE MODIFIQUEM SUAS ROTAS SEM
AUTORIZACAO E
RUMEM PARA AREAS RESTRITAS, ASSIM COMO AERONAVES NAO
IDENTIFICADAS,
PODERAO SER CLASSIFICADAS COMO HOSTIS.
AISWEB - BOLETIM PERSONALIZADO - 20/06/2013 às 22:58:12 UTC - Total de Páginas: 3
página 3 de 3 :: IP 177.135.49.197
FIM DO RELATÓRIO


Fonte: http://www.aisweb.aer.mil.br

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

História Aviação Policial do Ceará 1° Parte


Primeira parte sobre a história da aviação policial no Ceará.


primeira pintura
.









História 

 As primeiras atividades aéreas de segurança pública no Estado do Ceará datam de 1982, ano em que um Boeing 727-200 da empresa VASP, antes que pudesse efetuar o pouso no Aeroporto Pinto Martins, veio a colidir com a Serra da Aratanha, no município de Pacatuba (região metropolitana de Fortaleza), ocasionando a morte de 137 pessoas, na oportunidade foi utilizado o helicóptero da empresa estatal COELCE, um Esquilo HB 350 B, no transporte dos corpos das vítimas do acidente. No ano de 1985 ocorreram várias enchentes no interior do nosso Estado, momento em que o município de Russas e seus distritos foram seriamente atingidos, ocorrendo ajuda humanitária com emprego de helicópteros para o resgate de refugiados que ficaram ilhados, bem como na distribuição de cestas básicas e medicações com assistências médicas; das aeronaves empregadas estava o Esquilo HB 350 B da empresa estatal COELCE. No dia 19 de novembro de 1987 houve uma tentativa de seqüestro do empresário Fernando Gurgel da MECESA (Metalgráfica Cearense S.A.), onde ocorreu uma restrição à liberdade do filho do empresário juntamente com sua médica, sendo os mesmos ameaçados com um revólver calibre 38 e uma suposta bomba de fabricação caseira. Um único seqüestrador saiu da empresa, armado e com o artefato ameaçador, levando as duas vítimas e um motorista num opala, seguiram para a localidade de Papagaios na Caucaia, momento em que as vítimas foram sendo libertadas. O seqüestrador embrenhou-se na vegetação local, quando iniciou-se uma verdadeira caçada a um meliante até então, foi novamente utilizado o helicóptero Esquilo da COELCE nas buscas. Em 1991 houve a criação do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais) da PMCE quando, pela primeira vez, uma tropa especializada realizou treinamento helitransportada com desembarques táticos utilizando-se de técnicas de rappel. No ano de 1994, em 15 de março, tivemos uma ação ousada de detentos do IPPS, quando da visita pastoral de D. Aloísio Lorscheider, onde foram feitos reféns 13 pessoas juntamente com D. Aloísio, no auditório do IPPS (Instituto Penal Paulo Sarasate); o grupo de detentos era liderado por Antônio Carlos Barbosa, o “Carioca”. Foram mais de 20 horas de negociações até que um grupo de detentos deixou o presídio num furgão iniciando-se uma das maiores operações policiais para recapturar o grupo; foram dez dias de buscas na “Serra Azul”, em Ibaretama, sendo utilizada uma guarnição PM helitransportada, onde foram recapturados todos os 12 detentos e libertados os reféns. Atento às necessidades de recursos materiais para bem cumprir sua missão institucional, o Governo do Estado desenvolveu seus primeiros projetos de aquisição de aeronaves no ano de 1995. Assim, naquele ano uma aeronave Esquilo – HB 350 B, de fabricação francesa, que servia à COELCE, foi incorporada à Polícia Militar do Ceará, no recém criado GPAER – Grupamento de Policiamento Aéreo da Polícia Militar do Estado do Ceará. Em julho de 2001, dando seguimento a um projeto que nascera em meados de 1999, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social decidiu ousar na criação de um órgão ímpar dentro da estrutura de segurança pública, o CIOPAER – Centro Integrado de Operações Aéreas. Seria, efetivamente, o exemplo do primeiro órgão em que Policiais Civis e Militares, bem como Bombeiros Militares, poderiam desempenhar missões operacionais que tiveram um planejamento integrado e uma execução integrada. Isso corresponde à quebra de um tabu que persegue as Polícias Brasileiras há anos, a atuação conjunta e ordenada das Polícias Civil e Militar, somando forças e esforços para melhor servir à comunidade. E no CIOPAER o resultado desta soma de forças só tem trazido resultados positivos. Na prática, para a criação do CIOPAER foram adotados os seguintes procedimentos: somando-se ao Esquilo HB 350 B em operação, foram adquiridos mais três helicópteros Esquilo – AS 350 B2, de fabricação francesa e montados no Brasil pela Helibras – Helicópteros do Brasil S/A-; foram reunidos em um só órgão e sob a mesma direção Oficiais e Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, e Delegados, Inspetores e Escrivães da Polícia Civil; o CIOPAER passou a ser subordinado diretamente a Secretária da Segurança Pública e Defesa Social, e as aeronaves passaram a desempenhar missões múltiplas de policiamento ostensivo, repressivo, de combate a incêndio e de Defesa Civil. As tripulações passaram a ser mistas, mas a doutrina passou a ser a mesma, e os objetivos a serem cumpridos o seriam pela soma dos esforços e da determinação de todos. Foram homologados através da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, através da portaria n. 821/SSO de 12 de junho de 2008, os Cursos Práticos de Piloto Privado e Piloto Comercial de Helicóptero e publicados em Diário Oficial da União n. 112 de 13 de junho de 2008, sendo a CIOPAER a única Unidade Aérea de Segurança Pública no Brasil a formar pilotos diretamente na aeronave Esquilo AS 350 B2, não necessitando buscar formação básica em outras unidades ou escolas de formação. Teve-se um investimento significativo para que a CIOPAER voltasse com segurança, eficiência e eficácia, a desempenhar seu papel no contexto da Segurança Pública no Estado do Ceará. Hoje a CIOPAER – Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas conta com 3 helicópteros Esquilos e com um quadro de Pilotos, Tripulantes Operacionais e Mecânicos formados dentro do mais alto padrão técnico e profissional, além de uma vasta gama de equipamentos de última geração, a serem empregados nas várias missões desempenhadas. 


pintura atual


 Fonte parte escrita: http://www.sspds.ce.gov.br/ciopaer/index.jsp

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Aeroporto de Fortaleza vive clima de caos aéreo na madrugada desta 2ª feira

Clima de caos aéreo foi registrado, durante a madrugada desta segunda-feira, no Aeroporto Internacional Pinto Martins. Uma fila quilométrica se formou, a partir das 3 horas no setor de embarque doméstico, por conta da falta de pessoal nos aparelhos de raio X das bagagens. Deveriam estar operando cinco desses equipamentos, mas apenas dois estavam funcionando, o que provocou o acúmulo de passageiros. As informações são do Blog do jornalista Eliomar de Lima. Alguns funcionários da Infraero informaram que isso foi consequência de um corte de 30% do pessoal terceirizado, o que acabou afetando o setor de embarque. Pelo menos 10 voos nesse horário chegaram a sofrer alguns atrasos variando até 40 minutos, o que só se normalizou depois de muita reclamação por parte de passageiros e também das empresas aéreas. Pessoal extra foi mobilizado para acelerar o atendimento na área do raio X. O fato foi considerado “inusitado” por funcionários de empresas aéreas. Alguns que chegaram a falar sobre o caso, disseram nunca ter visto tamanho sufoco no setor de embarques desde a inauguração do aeroporto, hoje com 14 anos de operações. “Isso é um absurdo. Quando vimos que o problema ia se agravar por volta das 3 horas, pedimos providências!”, afirmou um funcionário de empresa área que pediu para não se identificado. O quadro se agravou porque, nesse período, há acúmulo de voos em razão de obras de restauro da pista de pousos e decolagens. O aeroporto fecha das 6 às 12 horas e houve a antecipação de alguns voos, principalmente aqueles com destino a Brasília e São Paulo e que são os mais requisitados. “Meu Deus! Será que vai dar tempo de embarcar?” – indagava a secretária estadual da Educação, Izolda Cela, que cumpriria a rota Rio, onde tem compromissos junto ao BNDES. Quem também se assustou foi o secretário da Saúde do Estado, Arruda Bastos, que tem agenda em São Paulo e Brasília. Os passageiros, no entanto, conseguiram embarcar. Mas só depois de se normalizar o numero de máquinas de raio X operando, o que ocorreu por volta da 4h25min. A supervisão da Infraero não se manifestou a respeito do fato. Já as empresas informaram que um balanço real dos efeitos das filas quilométricas deverá sair nas próximas horas.


Fonte: Jornal O Povo

O Sanfoneiro Voador Waldonys no Programa Encanta Ceará

Programa exibido no domingo após o fantástico na tv verdes mares filiada da globo no Ceará.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Aeroporto de Fortaleza começa nesta segunda última etapa da obra de recapeamento da pista

Serão retomadas nesta segunda-feira, 6, as obras de recapeamento de asfalto da pista de pousos e decolagens do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. O recapeamento da pista de Fortaleza, que possui 2545m de extensão, representa um investimento de R$ 8,6 milhões e teve início em outubro de 2011. A responsabilidade pelo empreendimento é da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).
Esta é a última etapa dos trabalhos e acontece das 6h às 12h, de segunda-feira a sábado, período em que o aeroporto estará fechado para pousos e decolagens. 

Cerca de 30 voos foram impactados. Desses, dez ficarão suspensos e os demais terão seus horários alterados segundo interesse das companhias aéreas. Os passageiros que tiverem passagens marcadas para as datas e horários em que ocorrerem as obras devem entrar em contato com as empresas aéreas para informações sobre os voos, segundo recomendações da Infraero. 

Para garantir o bom funcionamento das operações em Fortaleza e esclarecer os passageiros, a Infraero promete reforçar o contingente de empregados no saguão para orientar os usuários, bem como as equipes de inspeção de passageiros. Todas as operações serão monitoradas pelo Centro de Gerenciamento Aeroportuário (CGA), buscando o máximo de eficiência no atendimento de passageiros e aeronaves, assim como a utilização dos recursos do aeroporto. 

“Essa obra é mais um investimento da Infraero no Aeroporto de Fortaleza para manter os níveis de segurança nas suas operações, bem como seguir atendendo com o nível de excelência esperado pela sociedade”, afirmou o Superintendente do aeroporto Wellington Santos. 



Fonte: Jornal O Povo

terça-feira, 31 de julho de 2012


No dia 30 de julho, chegou no Aeroporto Internacional de Cabo Frio, os dois primeiros Helicópteros MH-16 “Seahawk” da Marinha do Brasil (MB). Os helicópteros vieram desmontados, transportados por aeronave da Força Aérea Norte Americana (C-17). Após serem montados, serão conduzidos, em vôo, por pilotos da empresa Sikorsky Aircraft Corporation, para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, onde permanecerão em testes finais de aceitação. A incorporação definitiva à Força Aeronaval ocorrerá por ocasião do aniversário da Aviação Naval, em 23 de agosto.
Essas aeronaves foram adquiridas junto à empresa Sikorsky, de um lote de seis helicópteros, mediante acordo celebrado em maio de 2008 com o Governo dos Estados Unidos da América, e irão substituir os SH-3A/B “Seaking”, que prestaram bons serviços por mais de 40 anos.
As novas aeronaves MH-16 pertencerão ao Primeiro Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarino e serão empregadas em proveito das Forças Navais, na “Amazônia Azul”, com a capacidade de realizar tarefas de detecção, localização, acompanhamento, identificação e ataque a alvos de superfície e submarinos, além de ações de busca e salvamento.
O MH-16 possui características estruturais e de projeto que lhe conferem maior robustez, resistência e confiabilidade, tais como: redundância dos sistemas de controle de voo e sistemas hidráulicos; e tolerância balística das pás do rotor principal para calibres de até 20 mm. Seus equipamentos aviônicos e sensores são última geração e podem ser armados com Metralhadora Lateral, Torpedos Anti-Submarino e Míssil Anti-Navio

FONTE: CCSM

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Infraero assina ordem de serviço para início de obras do Aeroporto de Fortaleza

A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) assina, nesta sexta-feira, 25, às 15h, a ordem de serviço para início das obras de reforma, ampliação e modernização do Terminal de Passageiros (TPS) do Aeroporto Internacional de Fortaleza Pinto Martins. Também será feita uma adequação do sistema viário e ampliação do pátio de manobras. A assinatura será feita no Mirante do Aeroporto de Fortaleza.

De acordo com a Infraero, a reforma deve ser iniciada em junho e a primeira fase da obra finalizada em dezembro de 2013. A segunda etapa estará pronta em dezembro de 2016. Serão investidos R$ 337 milhões pela empresa. Com as obras, o Terminal de Passageiros terá a área aumentada dos atuais 38.500 m² para 133.829 m², além de aumentar sua capacidade operacional anual de 6,2 milhões de passageiros para 14,2 milhões.
O evento terá a presença do diretor de engenharia da Infraero, Jaime Parreira, do Superintendente Regional do Nordeste, Fernando Nicácio, e do Superintendente do Aeroporto Wellington Santos.
Fonte: Jornal O Povo